É uma doença diarreica aguda (diarreia) causada por vírus do gênero rotavírus. Estes vírus são considerados os mais importantes causadores da diarreia grave, em todo o mundo, principalmente em crianças menores de cinco anos. Crianças prematuras, de baixo nível socioeconômico ou com deficiência imunológica estão sujeitas à manifestação da doença de maior gravidade. Nos adultos a doença tende a ser mais moderada.

Sintomas 

Seus principais sintomas são forte diarreia, vômito e febre alta. Nos adultos tais sintomas podem se apresentar de forma mais leve.

Transmissão 

Sua transmissão se dá através do contato direto com a pessoa infectada, através da ingestão de água contaminada, consumo de alimentos contaminados, contato direto com objetos contaminados e através do contato com fezes, uma vez que há uma alta concentração do vírus causador desta doença nas fezes do doente.

A infecção por rotavírus pode ser prevenida através de algumas medidas simples, como: 

  • Cuidados com a higiene pessoal e doméstica;
  • Lavar as mãos antes e depois de utilizar o banheiro, trocar fraldas, amamentar, manipular alimentos, manusear objetos sujos, tocar em animais, etc.
  • Administrar a vacina contra rotavírus (VORH) em crianças menores de 6 meses;
  • Evitar o desmame precoce, pois o aleitamento materno aumenta a resistência das crianças;
  • Lavar e desinfetar superfícies e utensílios utilizados na preparação de alimentos;
  • Ingerir somente água filtrada ou tratada;
  • Não ingerir água de riachos, rios ou poços contaminados, etc.

Esquema vacinal

Administrar uma série de vacina Rotavírus para todos os lactentes como se segue:

  • Se Rotarix (monovalente) for utilizado, administrar uma série de 2 doses aos 2 e 4 meses de idade.
  • Se RotaTeq (pentavalente) for utilizada, administrar uma série de 3 doses aos 2, 4 e 6 meses.
  • Se a criança cuspir, regurgitar ou vomitar após a vacinação, não repetir a dose
  • RV1 (monovalente) está disponível na rede publica brasileira.