Open/Close Menu Joseph El-mann
perda gestacional

Foi muito difícil começar a escrever este texto para vocês, não só porque me coloquei no lugar de cada mulher, mas também por ser um assunto delicado e que exige cuidado ao ser falado.

Você conhece alguém que sofreu alguma perda gestacional?

Mudei a pauta sobre falar dos porquês, motivos e causas para me colocar à disposição. Leia, caso você esteja precisando ou conheça alguém que está passando por isso, mas também leia para entender o luto de um sonho que não pode continuar.

“Como continuar a vida?”
“Entrei em desespero”
“O meu mundo ficou sem chão”

Essas são algumas frases ditas logo após receberem a notícia. Quem são? São mães e pais que não puderam colocar os filhos nos braços. São mães que tiveram o sonho interrompido. São mulheres que sofrem e precisam de acolhimento.

Nossa sociedade não poupa a dor alheia, é bem verdade. Especialmente a perda gestacional, precoce ou tardia, parece não merecer tanta atenção.

Você não imagina o que passou na cabeça daquela mulher, no fatídico dia daquela ultrassonografia, quando o médico olhou para os olhos dela e disse que o coração de seu filho não batia mais há pelo menos uma semana.

Desespero. Dor. Aperto no peito. Choque. Angustia. Falta de ar. Soluços. Luto.

Aquela mãe, aquele pai, aquele casal. Aquelas pessoas foram tomadas por um sentimento de dor tão grande que ninguém é capaz de imaginar.

Não subestime a dor de uma perda gestacional, faça ao contrário: coloque-se ao lado para amparar. Sirva essas pessoas e seja generoso com as suas dores.

A premissa de que cada filho é único vale aqui também. Não, de forma alguma, deve-se dizer aos pais que eles terão outros filhos. Primeiramente, porque você não sabe o quanto essas pessoas lutaram para conseguir engravidar.
Ademais, não é uma fase que vai passar logo. Os resquícios e tormentos virão na próxima tentativa, no próximo teste negativo, na próxima expectativa.

Esteja disposto a ser somente “ouvidos”. Esteja realmente preparado para ouvir quando esse pai ou essa mãe quiserem falar sobre o assunto.

Eu poderia fazer um manual da boa educação para esse momento, mas minha intenção é outra. Hoje, a minha energia está naqueles que passaram por isso. Queria muito poder dizer que sinto muito e que eu entendo o que estão sentindo. A dor da perda é dilacerante e, por dias ou meses, ela ficará presente em cada lembrança. Os dias vão passar. Desejo que você que tenha o tempo necessário para viver e sentir esse luto.

2015 © Copyright - Joseph El-Mann. Todos Direitos Reservados.