Open/Close Menu Joseph El-mann
papinha

Papinha na introdução alimentar do bebê

Hoje vamos falar sobre a alimentação complementar com papinhas!
Já falamos sobre a introdução alimentar usando o método BLW. Se você não viu, clique aqui.

Nessa fase do bebê, nós temos que lembrar que ele precisa conhecer os alimentos e o sabor natural deles. É por isso que não devemos adicionar sal nas preparações. A partir dos 10 meses de vida pode-se começar a usar um pouco de sal mas, ainda assim, continuar usando os temperos naturais como aliados do sabor no preparo das papinhas.

Dando papinha para o bebê

 

As papinhas não devem ser preparadas no liquidificador e nem devem ser passadas pela peneira. A criança precisa conhecer, além dos sabores e temperaturas, a consistência de cada alimento.

Inicialmente, oferecemos uma frutinha pela manhã. Alguns dias depois, uma frutinha a tarde. Para que os pais possam observar melhor a aceitação e também se a criança apresenta algum tipo de alergia, sugere-se repetir a mesma fruta por dois dias, e após isso, oferecer outra. Assim, gradativamente, chegaremos na papinha principal.

Quando começar a dar papinha

Não force seu filho a comer. A aceitação das papinhas e quantidade partirá da criança. Você vai perceber a evolução do seu filho dia após dia.

Após a iniciação da alimentação complementar com as papinhas doces, podemos começar a introduzir uma papinha salgada, que seria o almoço da criança.
Após duas ou quatro semanas, neste esquema de leite materno e almoço, pode-se fazer mais uma refeição com papinha, que seria o jantar da criança.

Uma papinha super correta deve conter pelo menos um ingrediente de cada grupo
Carnes: Bovinas, aves, peixes – A gema do ovo também pode ser usada
Verduras: Agrião, espinafre, couve, brócolis, repolho, rúcula, acelga, chicória
Legumes: Cenoura, abobrinha, beterraba, berinjela, jiló, couve-flor, chuchu, vagem
Tubérculos: Batatas (baroa, doce, inglesa), inhame, abóbora, mandioca
Cereais: Arroz, aveia, fubá, massas
Leguminosas: Feijão, soja, lentilha, grão de bico, ervilhas

Dê sabor à comida do seu filho usando tempeirinhos diferentes ou uma combinação deles. Você pode usar alho, cebola, manjericão, alecrim, hortelã, orégano fresco, um mix de ervas. São muitas as opções.

Algumas combinações para temperar a papinha
Arroz: salsa, açafrão
Aves: sálvia, alecrim
Carnes vermelhas: sálvia, louro, alecrim, tomilho, salsa
Feijão ou lentilha: louro, manjericão, salsa, zimbro
Massas: manjericão, manjerona, alecrim
Peixes: coentro, sálvia, alecrim, tomilho, açafrão
Saladas: hortelã, salsa, erva-doce
Sopas: louro, erva-doce, manjerona, salsa, alecrim

Notinha: Alguns temperos devem ser evitados no início da introdução alimentar, são eles: Noz moscada, pimenta (inclui curry) e sal, conforme já mencionamos.

Nunca use tempero industrializado. São cheios de ingredientes que fazem mal à saúde, além de dificultar o aprendizado da criança em relação a descoberta dos sabores.

Qual a consistência ideal da papinha?
Os alimentos devem ser bem cozidos para que amoleçam. Sendo assim, amassar os alimentos com o garfo, deixando alguns pedacinhos é o ideal. Seguindo sempre a evolução da criança.

Tipos de papinha

 

Pronto! Agora que você já leu sobre a introdução alimentar usando os dois métodos: BLW e Papinha. Analise, leia, busque informações e escolha o que melhor se encaixa na rotina da sua família.
Essa é a fase da descoberta dos sabores. Deve ser uma fase divertida e gostosa para todos!

Chefiada pela doutor Joseph El-mann, graduado em Medicina pela Universidade Federal Fluminense (UFF), a clínica especializada em pediatria e neonatologia, Joseph El-mann, oferece diversos serviços ligados à pediatria e neonatologia. Entre em contato e agende sua consulta.

2020 © Copyright - Joseph El-Mann. Todos Direitos Reservados.

Agende sua consulta
Agende sua consulta
Agende sua consulta