Open/Close Menu Joseph El-mann

Miliária – Você sabe o que é?
A miliária se apresenta como uma erupção cutânea relacionada com as glândulas sudoríparas (que produzem o suor) e afeta principalmente as crianças, mas também pode atingir os adultos.

Miliária é muito comum em bebê

Miliária é muito comum em bebê

Miliária, também conhecida como Brotoeja, é uma dermatite inflamatória aguda causada pela obstrução dos dutos excretores das glândulas sudoríparas, que impede a saída do suor. O quadro está relacionado com o aumento do calor e da produção do suor que, extravasando dentro da pele, antes de atingir a superfície, provoca um processo inflamatório.

O que bloqueia a saída das glândulas sudoríparas?
Algumas pessoas têm uma maior propensão a desenvolver Miliária. Uma bactéria chamada Estafilococos epidermidis, que vive em harmonia com nossa pele, pode contribuir para aparecimento. Vale lembrar que a miliária não é uma infecção, porém esta bactéria produz e libera uma substância pegajosa que pode se misturar com o suor e as células mortas da pele e ajudar no bloqueio das glândulas sudoríparas. Existem estudos que reportam pessoas que apresentam Miliária. Quando suam apresentam em média 3 vezes mais bactérias por unidade de área de pele comparado com quem não desenvolve Miliária.

miliaria-brotoeja

Qualquer coisa que possa bloquear os ductos das glândulas sudoríparas também pode causar Miliária. Alguns cremes e adesivos na pele podem ser agentes causadores.

Manifestações clínicas da Miliária
Existem 4 tipos – São eles:

1. Miliária Cristalina
2. Miliária Rubra
3. Miliária Pustulosa
4. Miliária Profunda

A localização mais comum é o tronco e a região cervical. As lesões geralmente são acompanhadas por coceira.
Formam-se “bolinhas avermelhadas” ou vesículas (pequeninas bolhas) sobre pele avermelhada podendo, em alguns casos, formar lesões mais exuberantes. Devido à coceira, a pele pode apresentar sinais de escoriação e pequenas crostas sobre as lesões devido à ruptura das bolhas pela coçadura. É comum a ocorrência de infecção secundária à doença, com o surgimento de pústulas (bolhas de pus) ou nódulos dolorosos.

Miliária cristalina:
É causada quando há bloqueio dos ductos das glândulas sudoríparas. Ocorre superficialmente na pele. Manifesta-se na forma de vesículas diminutas, de conteúdo claro e inicia-se repentinamente. Não apresentam sintomas sistêmicos e este é o tipo que menos coça. Os recém-nascidos são atingidos com maior frequência pela relativa imaturidade e menor tamanho de suas glândulas sudoríparas.

Miliária rubra (sudâmina): É uma erupção mais profunda, quando o bloqueio dos ductos ocorre em parte mais profunda da epiderme (pouco abaixo da pele). Caracterizada por pápulas (lesões sólidas, elevadas, com diâmetro menor de 1cm) e pequenas vesículas eritematosas que podem produzir prurido. Acometem as áreas flexíveis, como pescoço, axilas, virilha, sendo que a fricção apresenta um importante papel na patogenia. Na área afetada da pele você nota uma reduzida quantidade de suor.

Miliária Pustulosa: Ocorre quando pústulas (coleção de pus) se desenvolvem na Miliária Rubra.

Tipos (Foto: MD Saúde)

Os Tipos (Foto: MD Saúde)

Miliária Profunda: É uma forma incomum. Ocorre quando o bloqueio das glândulas sudoríparas é mais profundo ao nível da derme. Acontece tipicamente em pessoas que desenvolvem episódios repetidos de Miliária Rubra. Nodulações grandes se desenvolvem na região da pele que transpira. Este tipo de Miliária tem pouco prurido, mas tem grande risco de desenvolver febre.


Quais são as causas?

 Roupas apertadas atrapalham a eliminação do suor
 Uso de alguns cremes ou loções pode obstruir os ductos.
 Miliária pode ocorrer também como efeito colateral de alguns medicamentos (Isotretinoína e Clonidina)
 As dobras de pele como pescoço, axilas, virilha tem contato entre as peles adjacentes, o que torna difícil a circulação do ar e prejudica a evaporação do suor.


Qual é o tratamento?

A miliária, em muitas vezes, melhora sem nenhum tratamento. Às vezes, em casos mais severos, pode durar por semanas. A prevenção é o melhor tratamento para Miliária. Para evitar a miliária deve proteger-se do calor, evitando o excesso de suor. Permitindo que a pele esteja sempre exposta a circulação de ar, evitamos a obstrução dos ductos das glândulas sudoríparas.

Outras condutas para prevenir:
 Evitar calor e umidade
 Usar roupas frescas e de algodão, evitando sintéticos que prejudiquem a sudorese.
 Evitar o excesso de roupas nas crianças pequenas, principalmente nos recém-nascidos, hábito comum entre mães com preocupação excessiva em agasalhar seus filhos.
 Quando segurar o bebê no colo, tente não usar tecidos abrasivos como a lã, pois podem irritar a pele do bebê.
 Tomar banhos frios.
 Uso de ar condicionado quando muito quente.
 Lavar a região com sabonetes antissépticos pode reduzir o número de bactérias. Não existem evidências para esta conduta, mas pensando na provável etiopatogenia pela bactéria, parece uma medida interessante.
 O uso de hidratantes pode prevenir que ocorra o bloqueio dos ductos das glândulas sudoríparas
 O uso de cremes a base de corticosteroide pode estar indicado em algumas situações. Seu pediatra deve avaliar a necessidade.

2015 © Copyright - Joseph El-Mann. Todos Direitos Reservados.