Open/Close Menu Joseph El-mann
Linguagem e Conexão entre pais e filho

Desde o nascimento, as crianças estão aprendendo a se adaptar ao novo ambiente com ajuda – principalmente de VOCÊ. Como são dependentes dos adultos que cuidam de suas necessidades básicas, os bebês precisam aprender rapidamente que, quando estão com fome, cansados ​​ou precisam de aconchego, precisam chorar, mexer ou arrulhar para chamar sua atenção.

Quando os pais olham e respondem ao bebê, os pais estão ajudando a construir fortes conexões no cérebro do bebê. Essas conexões são fortalecidas cada vez que os pais respondem o que, por sua vez, ajuda as crianças a se sentirem seguras e amadas.

Os pais são realmente tão poderosos! Esses momentos e interações cotidianas são como um prêmio para o seu bebê. Ajuda-o a aprender o poder da interação social (fazendo algum ruído ou emitindo um som, minha mãe vai virar e olhar para mim) e como a linguagem ajuda os bebês a dizer aos adultos o que eles precisam e querem. Esses momentos de “servir e retornar” são fundamentais para ajudar seu filho a aprender que ele é seguro e a ter adultos que o amam e cuidam deles.

Quando o seu filho visita o pediatra, ele será examinado para saber como o seu filho está se desenvolvendo e crescendo. Os pediatras costumam usar perguntas e observações como forma de determinar se seu filho está no caminho certo. Nas consultas de puericultura, principalmente as iniciais, o comum é que o pediatra peça para que os pais preencham um formulário. Nele estarão os principais dados da vida da criança, desde o seu nascimento até a fase atual.

Perguntas sobre como seu filho está aprendendo, crescendo e se comportando, por exemplo, são naturais. Essas perguntas enfocam sua linguagem, o uso de suas mãos e pés, sua capacidade de interagir com os outros e as habilidades de resolução de problemas. Em todas as visitas, o pediatra estará observando seu filho e como ele reage a você, ao ambiente ao seu redor e como ele lida com o exame físico.

Quando o pediatra pergunta sobre a linguagem, existem na verdade duas partes da linguagem que ele quer conhecer. Uma é como o seu filho parece entender o que é dito para ele. Isso é chamado de linguagem receptiva e é a primeira parte a se desenvolver.

Por exemplo:

  • Surpreendendo a sons altos (nascimento aos 3 meses de idade)
  • Vira e olha nas direções dos sons (4-6 meses de idade)
  • Responde a mudança no seu tom de voz (4-6 meses de idade)
  • Vira para você quando você usa o nome deles (7 meses ou mais)
  • Entendendo Sim e Não (7 meses ou mais)

É importante sempre lembrar aos pais que cada criança tem o seu tempo. As referências que apresentamos são baseadas na literatura pediátrica, mas ainda assim não é unânime.

A outra parte, linguagem expressiva, corresponde aos sons reais que são feitos para ajudar as crianças a dizer a outras pessoas o que é que eles querem ou precisam. Às vezes, se uma criança está tendo dificuldades com linguagem expressiva, um fonoaudiólogo pode ensinar uma criança a usar a linguagem de sinais para algumas palavras comuns, como “por favor”, “mais” e “tudo pronto”.

Outra maneira fácil de ajudar seu filho a ouvir e aprender a língua é com a leitura. A ciência mostra que ler para os filhos todos os dias tem uma capacidade enorme de auxiliar a criança nessa fase, e ainda torna esse tempo entre pais e filho ainda mais especial.

Sabemos que ajudar as crianças a aprender a ler e a falar são habilidades fundamentais vinculadas ao bom desempenho de uma criança na escola. No entanto, não é apenas encher os ouvidos com uma linguagem que é importante. Quando os pais repetem pela primeira vez o som ou a palavra que a criança diz, eles estão dizendo: “Sim, é assim que começamos a conversar um com o outro!” Então os pais podem adicionar 1-2 palavras adicionais aqueles sons e dizê-lo de volta com um sorria, abraça, beije antes que a criança tome o próximo turno.

Crianças de 6 meses de idade e menores apenas gostam de ouvir a sua voz e tê-lo por perto durante a leitura. Você nem precisa ler as palavras exatas na página, mas pode chamar a atenção para alguns objetos-chave em uma página. Apontar e dizer a palavra em voz alta e depois olhar para o seu bebê pode incentivar a compreensão de que o som está relacionado às imagens na página. Bebês tão jovens muitas vezes adoram ouvir os sons e podem olhar para as fotos. No entanto, mais freqüentemente do que não, as crianças adoram mesmo é tempo de se abraçarem com você e podem até tentar colocar o livro em suas bocas! É assim que elas exploram o mundo ao seu redor, enquanto há a presença dos braços seguros de seus pais.

Uma estratégia que indico e que os pais podem usar é tornar-se um “locutor de esportes”, falando em voz alta e dizendo o que você vê seu filho fazendo. Esta é uma maneira maravilhosa e positiva de mostrar ao seu filho que você “os vê”. Todos nós assistimos a jogos esportivos na televisão – você ouve o locutor dando a ação “play by play” e ficando super empolgado quando uma jogada importante ou um gol acontece. Experimente! Você pode, a princípio, se sentir estranho falando em voz alta, mas não é preciso muita energia mental para fazer isso. Apenas deixe o seu filho assumir a liderança e você simplesmente diz em voz alta o que está acontecendo!

Você pode usar essa técnica para fazer várias coisas:

  • Os pais podem usar essa técnica e descrever objetos ou ações que seu filho está segurando ou fazendo, como “um copo vermelho” “você está empilhando dois blocos, um em cima do outro – um – dois!” Ou “você está fazendo o carro subir a rampa, está indo tão rápido!”.
  • Você pode comentar sobre o que eles estão sentindo no momento rotulando emoções : “Uau, você empilhou tão alto! Você parece tão orgulhoso!” ou “Isso caiu e você nem ficou triste! Você sabe que pode tentar de novo!”.
  • Você também pode comentar sobre a sua persistência: “Você trabalhou muito duro com isso, você está se concentrando e pode realmente descobrir as coisas!”
  • Você também pode usar isso para comentar como as crianças estão brincando (“você está compartilhando o brinquedo com ela, você está sendo tão legal!”) e dar a elas instruções para ajudá-las a aprender como brincar com outras pessoas (“Dê isso a ela. Empresta para ela para que ela possa dar uma volta… sim, está certo! Você está aprendendo a compartilhar! ”).

Não deixe a simplicidade desta técnica enganar você. Isso realmente forma a base de começar a mostrar ao seu filho que você está lá, que você se importa e que você o vê.

Você também pode ler outros comandos em um artigo que publicamos no blog: Comandos ou ordens para o filhos seguirem

Todos esses momentos do cotidiano podem percorrer um longo caminho para construir cérebros melhores. Basta lembrar que o aprendizado começa em casa, com você, sendo o primeiro professor de seu filho. Ao dar às crianças essa atenção ao responder às suas necessidades com nossas palavras, abraços e afeição estamos dando às crianças a atenção positiva que elas desejam. Este é um princípio de parentalidade chave a ter em mente. Essa necessidade de atenção positiva nunca vai embora. Nós todos gostamos de ser reconhecidos por um trabalho bem feito, ou que somos valorizados por quem somos.

Lembre-se: Nunca subestime o poder de cada dia com o seu filho. Eles são os blocos de construção essenciais para cérebros fortes e saudáveis e os prepara para o sucesso mais tarde na vida. Além disso, o bônus é que você recebe muitos sorrisos e abraços estando com o seu filho.

Muito provavelmente voltaremos a falar deste assunto. É tão presente e tão importante para todos.

2015 © Copyright - Joseph El-Mann. Todos Direitos Reservados.